Como escolhemos o nome da nossa filha

Várias pessoas me perguntam como eu e o Raphael escolhemos o nome da nossa filha: Maria Cecília. Mesmo antes de pensar em engravidar já tínhamos escolhido esse nome e tem um super motivo,  um motivo que nos deixa feliz e com um significado muito importante pra nós.

Acreditamos que as coisas na vida tem que ser feitas com um objetivo, com um propósito e não seria diferente neste momento tão importante na vida de um casal que é a chegada dos filhos. E assim sempre discutíamos que nome daríamos pro nosso primogênito. Qual nome seria se fosse menino ou se fosse menina.

Assim quisemos homenagear nossas avós e agora bisavós da nossa filha.

Não conheci a mãe do meu pai, ela morreu quando meu pai ainda era criança, mas sempre ouvi várias histórias dela e chego a imaginá-la como era linda e que mesmo passando tão pouco tempo ao lado do meu pai e dos irmãos dele conseguiu que eles fossem pessoas tão bondosas e referências pra minha filha. A mãe da minha mãe foi uma super avó pra mim e pros meus irmãos, toda nossa família sente muito a falta dela até hoje e sei que onde ela está ela olha por nós e pela bisnetinha dela agora. Fui muito mimada por ela, e sempre soube que queria homenageá-la dando o seu nome a minha filha.

As avós do Raphael também são muito especiais na vida dele e referência para toda a família e também queríamos homenageá-las.

E pra nossa sorte e pra não ficar nenhuma avó de fora os dois nomes homenageiam as quatro avós. A minha avó, mãe do meu pai, e as duas avós do Raphael se chamam Maria, e a minha avó, mãe da minha mãe se chama Cecília.

Com muito orgulho e com um propósito lindo colocamos o nome da nossa princesa, razão das nossas vidas de Maria  Cecília.

O único medo que tínhamos era que por ser nome composto as pessoas pudessem chamá-la só de Maria ou só de Cecília ou criarem um apelido, mas graças a Deus todos seguem o nosso exemplo e a chamam pelo nome completo, acredito que seja também porque sabem que não gostamos.

Se nós pais a chamássemos por apelido ou por um só dos nomes acredito que as pessoas também seguiriam, mas nós não gostamos então chamamos sempre pelo nome completo.

Não é linda a história do nome da nossa princesinha? Linda igual ela.

Foto: @marcus.cassemiro

P.S: Sou mesmo uma mamãe babona rsrsrs.

 

Continue Reading

Meio aniversário da Maria Cecília

No dia 01/11/2018 minha princesinha completou seu meio aniversário, são 6 meses de muita fofura, muitas descobertas e também uma mudança inimaginável em minha vida.

Nunca tive aquele sonho de ser mãe, sempre quis, mas sempre soube que eu teria muita dificuldade, pois nunca tive sobrinho pequeno ou nada parecido para cuidar, ou seja, nem imaginava a demanda de um serzinho tão pequenininho nem se eu teria “jeito” pra coisa.

Logo que o baby chega todos querem saber se está mamando se dorme se tem cólica, enfim, essas perguntas básicas que toda mamãe já deve ter ouvido. E eu inexperiente zero me preparei para tais ocorrências, mas no fim deu tudo certo.

Pra mim a amamentação foi bem intuitiva, coloquei no peito e mamou, graças a Deus. Mas tive muitas dúvidas e como eu recorria a internet (terra sem lei) lia todo tipo de informação, tanto positivas quanto negativas e ficava super neurada e com medo. Então minha dica é: leia, leia e leia, mas leia fontes seguras. Comprei dois livros que super me ajudaram e ajudam até hoje, o primeiro que li foi: Os segredos de uma encantadora de bebês e o segundo: A encantadora de bebês ambos da autora Tracy Hogg. Depois posso falar mais deles, mas na internet tem muitos posts e vídeos resumindo eles.

Hoje, sem os efeitos hormonais do pós parto fico rindo, mas foi bem tenso, todo mundo dando palpites, mãe, sogra, cunhadas, tias e a gente naquele turbilhão de emoções tendo que filtrar tudo, aff, só rindo mesmo.

Outra dica: pegue leve com as mamães, não dê opiniões e palpites exceto se te perguntarem e ainda mais importante, não julgue, nós já nos julgamos o tempo todo. E ser julgada por outras mães é horrível, cada uma sabe da sua verdade, do que é melhor para si e para seu bebê. Seja leve com você mesma e com outras mamães.

Nossa é cada comentário imbuído de julgamentos que temos que ter muito bom humor pra deixar pra lá e seguir a vida viu aff, kkk.

Tem duas coisas que eu teria feito diferente se eu tivesse a experiência que tenho hoje, uma é ter dado bico desde o início pra Maria Cecília, fiquei ouvindo médico e comentários negativos da internet e me dei mal, porque quando fui oferecer o bico ela já não aceitou mais.

O pediatra que nos atendeu na maternidade falou que ela poderia ter confusão de bicos e não mamar, e ensinou ela a chupar a mãozinha dela, fiquei com medo dela largar o peito e não dei bico, hoje super me arrependo, pois o bico acalma a criança, faz ela dormir mais fácil e principalmente sacia a vontade de sugar deles, no meu caso ela uso o seio para saciar essa vontade o que me deixa super presa, pois em vários momentos ela quer meu peito só pra sugar, minha esperança é que agora com a introdução alimentar isso mude um pouco, oremos rsrsrs.

Outro arrependimento é que no começo eu ficava ouvindo as tais pessoas palpiteiras quanto a dar colo pra minha filha, falavam: não deixa no colo pra não acostumar e só querer colo, eu amamentava e logo colocava no berço ou cadeirinha de balanço ou mesmo minha cama, mas colo era só na hora de mamar, aff, que raiva, meu sonho ficar bem grudadinha com ela no colo de novo, bem pequenininha dormindo no meu colo.

Confesso que do terceiro mês pra frente resolvi ignorar esses palpites e estou fazendo as coisas mais do meu jeito, deixo dormir no colo, no peito e foi a melhor decisão. Ela passou a dormir melhor e eu passei a me sentir mais tranquila em ouvir o meu instinto e não os palpiteiros. Passa tão rápido, daqui a pouco ela vai querer só ficar no chão engatinhando e depois andando, que vou sentir muita saudade desse tempo que ela ficava só no colo.

Hoje vejo que temos que filtrar as informações, é um período que estamos cheias de dúvidas sem saber o que fazer, nessa jornada de mãe de primeira viagem, ficamos mais confusas com tanta informação bagunçada, seja pela internet, seja pelas pessoas próximas e até os médico, na maternidade o próprio pediatra, enfim, tenho certeza que se tiver outro filho serei mais leve comigo mesma neste início.

E uma coisa que já pratico é zero dar palpite pra qualquer mamãe que seja, se me perguntam minha opinião, falo o que fiz com minha filha mais nada. Não pergunto e jamais julgo qualquer que seja a opinião de outra mãe.

Enfim esses são meus maiores arrependimentos e aprendizados e quero deixar claro que essa é minha experiência, são meus gostos e minhas opiniões, que hoje vejo que teria sido o melhor pra mim, mas mais uma vez eu digo, não julgue e não dê palpite se a sua opinião é diferente, sejamos leves.

Agora estamos começando uma nova fase, a alimentação. E daqui pra frente vou começar a dar também leite de fórmula pois em janeiro ela vai pro berçário então não quero correr o mesmo risco da chupeta de ela não pegar a mamadeira com leite de fórmula. Com o meu próprio leite sempre dei pelo menos uma vez na semana na mamadeira por medo dela não adaptar depois e pro papai também participar deste momento tão gostoso que é alimentar nossa bebezinha linda.

Continue Reading

Relato de parto: Cesariana com 37 semanas de gestação

Ei gente, até que enfim consegui escrever o relato do meu parto. Foi tudo tão intenso nesses dois meses que agora que as coisas estão começando a entrar nos eixos. É tudo novo e acabei ficando totalmente imersa na função mãe que parei totalmente a me dedicar ao blog e as redes sociais. Mas chega de conversa e vamos ao que interessa.

Maria Cecília nasceu de parto cesáreo no dia 01/05/2018 às 2:08, com 37 semanas e dois dias, na maternidade do hospital Materdei em Belo Horizonte, o parto teve que ser feito de emergência por eu estar com o quadro evoluída da pré-eclampsia que é a sindrome de hellp.

Com aproximadamente 33 semanas de gestação estava me sentindo muito inchada e cansada e resolvi ir ao hospital pra ver como tudo estava, chegando lá minha pressão arterial estava altíssima e fui diagnosticada com doença hipertensiva da gravidez, e passei a fazer um controle mais de perto com consultas semanais e também passei a tomar remédio para controlar a pressão arterial. E fui alertada pela minha médica que se sentisse qualquer um dos sintomas como dor de estômago, enjoo, visão com pontinhos brilhando, inchaço, dor de cabeça e a pressão chegasse a 140 que fosse para o pronto socorro imediatamente.

Ainda com 33 semanas fiz o exame de preteinúria que é para detectar proteína na urina que é um dos indicativos de uma possível pré-eclampsia e até aquele momento estava com os valores normais.

Assim fui controlando nas semanas seguintes, passei a ficar mais de repouso e observar mais os sinais que meu corpo poderia dar, foi então que no dia 29/04/2018 um domingo a noite comecei a sentir uma dor no estomago que foi aumentando madrugada a dentro, senti tanta dor que não consegui dormir. Umas três da manhã tomei um banho para ver se melhorava e chamei meu marido para irmos ao hospital. Ele ainda me perguntou: vamos levar as malas da maternidade? Eu falei: não, ela não vai nascer hoje! rsrsr.

As 06:30 do dia 30/04/2018 eu já estava sendo atendida e pra minha surpresa recebendo a notícia que ficaria internada para minha filha nascer. Estava com alguns exames muito alterados e a pressão arterial muito alta mesmo tomando remédio, dando indicativo de pré-eclâmpsia, e que tentariam induzir o parto para que fosse normal e acompanhariam esses exames de hora em hora para ver a evolução.

Passei o dia todo no hospital sendo feita a indução por comprimidos introduzidos via vaginal para que houvesse a dilatação e o afinamento do colo do útero. Mas que essa indução só seguiria o protocolo de 6 doses (uma dose a cada 4 horas) se meus resultados de exame não fossem piorando e nem colocando em risco a mim e minha filha.

Assim foram feitas três doses, ou seja, já estava há doze horas aguardando e nada de ocorrer nenhuma dilatação nem afinamento do colo do útero e meus exames começaram a piorar, as plaquetas estavam ficando muito baixas, os exames do fígado piorando, evoluindo a pré-eclampsia para seu quadro mais grave que é a Síndrome de Hellp, foi aí que minha médica resolveu que era melhor fazer uma cesárea imediatamente.

Na hora comecei a chorar mas logo percebi que se era para não colocar a minha vida e da minha princesa em risco realmente era o que tinha que ser feito e eu teria que ser forte, pois a gravidez inteira pedi muito a Deus para que tudo corresse bem e não fosse necessário fazer cesariana por ter muito medo da anestesia.

Me preparei psicologicamente, vesti a camisola que o hospital pediu, avisei minha mãe e fui levada para o bloco cirúrgico da maternidade. Só quis que meu marido estivesse comigo, embora o Materdei permita dois acompanhantes. Fui então para a sala de parto e meu marido ficou preenchendo alguns documentos que eles pediram. Me sentaram na maca, me colocaram na posição para aplicação da anestesia, eu estava extremamente nervosa, mas fui fazendo tudo que me pediram, a forma de sentar, respirar, tudo foi conduzido pelo médico anestesista e logo eu já estava deitada na maca, meu marido então entrou na sala de parto e tudo o parto foi sendo feito.

Em certo momento alguém me perguntou se poderia abrir a porta do “mineirinho” para minha mãe e meu pai entrarem e verem o finzinho do parto e a chegada da minha princesa. Essa é uma coisa bem legal da maternidade do Materdei, se você quiser pode deixar sua família assistir o parto. Como o meu foi de madrugada e as pressas só deu tempo de avisar os meus pais, o Rapha até tentou falar com a mãe dele mas não conseguiu.

O parto correu tudo bem, a pressão arterial se manteve controlada e não senti absolutamente nada, e logo ouvi aquele chorinho mais esperado, minha Maria Cecília chegou, nasceu linda e super saudável, papai logo a pegou e a colocou sobre mim. Sério, é um dos momentos mais emocionantes da minha vida. É uma alegria inexplicável.

Após todos os procedimentos fiquei em observação antes de poder voltar pro quarto , essas horas foram intermináveis para mim, é muito estranho o efeito da anestesia nas pernas, elas ficam formigando, e achei que demorou muito a passar, eu e minha ansiedade, rsrs. Durante todo esse tempo minha filha permaneceu comigo e por ser madrugada e estar vazio deixaram meu marido e meus pais ficarem comigo. As 5:00 da manhã já estava de volta ao quarto com minha filha nos braços para podermos descansar.

Fiquei internada por mais três dias pois mesmo após o parto ainda existia o risco de complicações devido a síndrome de hellp, mas graças a Deus tudo foi normalizando, os resultados dos exames foram melhorando e minha pressão foi controlando com os remédios.

Quis fazer esse relato para alertar as mamães a ficarem atentas, pois uma dor de estomago na gravidez pode ser indicativo de algo mais grave. Na realidade tudo que ocorre com nosso corpo na gravidez por menor que seja, por mais insignificante que possa parecer deve ser investigado. Não podemos ficar esperando passar, e se o médico não te der a atenção que você espera, procure outro, pois o nosso sexto sentido vale ouro.

E fiquem muito atentas a pré-eclampsia e a síndrome de Hellp que é uma complicação obstétrica grave, mas raríssima (menos de 1% de todas as gravidezes podem evoluir para esta situação), que pode causar a morte da mãe e do bebê.

A síndrome Hellp é caracterizada por um conjunto de alterações laboratoriais que incluem destruição dos glóbulos vermelhos, compromisso do fígado e compromisso da coagulação do sangue. Pode provocar insuficiência renal, problemas no fígado ou edema agudo no pulmão na mãe e ainda o parto prematuro. Graças a Deus ocorreu comigo já no fim da gestação, ou seja, Maria Cecília nem é considerada prematura, pois parto com 37 semanas já é considerado a termo.

E hoje em dia já existem exames que podem indicar a possibilidade de haver pré-eclampsia. Quando eu fiz um ultrassom com aproximadamente 12 semanas fui diagnosticada com essa possibilidade a partir das 34 semanas e minha médica me prescreveu tomar aspirina durante toda a gravidez, tomei direitinho, 1 comprimido diariamente, acredito que isso ajudou a ocorrer a pré-eclampsia em sua forma agravada a síndrome de Hellp só após eu completar as 37 semanas e não ter nada grave nem comigo nem com minha princesa.

Então é isso, espero que esse relato possa de alguma forma ajudar alguma mamãe. Se tiverem alguma dúvida, ou quiserem saber algo específico só me chamarem que terei o maior prazer em responder.

Bjos.

Patricia Mapa

 

Continue Reading

Looks de trabalho na gravidez para se inspirar

A gravidez é uma época maravilhosa! Porém, com a barriguinha crescendo e o corpo se modificando surgem muitas dúvidas sobre que tipo de roupa usar, principalmente quando se trata de trabalho. E se você, futura mamãe, também sofre com isso, confira este post com algumas dicas de looks de trabalho.

Vestidos

Não existe nada mais confortável e útil durante a gravidez do que os vestidos. E quando se trata de looks de trabalho não é diferente.

E para não errar e cair na mesmice, procure diversificar as cores e estampas. Lembrando que estampas com fundo escuro são ótimas para dar um ar mais elegante.

Deixe os vestidos longos e muitos justos para o final de semana e eventos sociais. Mas caso queira usar vestidos justos para valorizar a barriguinha, escolha uma segunda peça para compor o look, como um colete, blazer, jaqueta ou quimono. Isso ajuda a disfarçar o ar “sexy” do modelo e ainda afina a silhueta.

Vestidos soltos podem ser usados até o final da gravidez, bem como depois dela, e por isso são um ótimo investimento. Escolha modelos que valorizem o colo e aproveite para usar um decote discreto em V.

Outra dica interessante é abusar dos vestidos e blusas com mangas longas ou três quartos. Elas são ótimas para disfarçar os braços que ficam mais gordinhos durante a gestação.

Foto: Gil Braga

Blusas

E por falar em blusas, para quem gosta do estilo boho, as blusas e batas bordadas em tecidos leves como algodão e linho são uma excelente opção.

Se seu ambiente de trabalho comporta looks mais informais, as peças em jeans podem ser um ótimo investimento e estão super na moda.

Quanto às estampas, vale, como para os vestidos, apostar no fundo escuro e cores discretas. Deixe as cores vibrantes e estampas mais alegres longe dos looks de trabalho.

E não se esqueça, quando for comprar blusas, camisas ou batas durante a gravidez, já vá pensando na amamentação. Escolha peças com botões na frente ou que sejam fáceis de abrir, com alças flexíveis para abaixar e também blusas no estilo envelope, que amarram e podem ser soltas e afrouxadas na hora da amamentação.

Terceira peça

Um truque fashion que serve para todas as mulheres é investir em uma terceira peça.

O combo blusa e calça, por exemplo, fica muito mais charmoso quando acompanhado de um cardigã ou blazer. Já o colete comprido fica lindo quando já se tem um barrigão, pois ele alonga o corpo, deixando as proporções mais equilibradas.

Se você trabalha em um ambiente mais informal pode compor o look com uma jaqueta jeans também, foi como usei o look abaixo.

 

 

Foto: Gil Braga

 

Foto: Pinterest Lia Camargo

Tem mais look com terceira peça no meu instagram @patricia.mapa

Sapatos

Escolha, antes de mais nada, um sapato confortável. Afinal, você ficará o dia todo com ele no trabalho.

No começo da gravidez ainda é possível usar sapatos com salto. Porém, com o avanço da gravidez, será preciso usar apenas sapatilhas e rasteiras.

Dependendo do seu ambiente de trabalho você pode optar por peças mais clássicas ou mais descoladas como rasteiras gladiadoras, sapatilhas com detalhes estampados ou brilho, mocassim e oxford.

Foto: Pinterest agora sou mãe

Acessórios

Se você não quer gastar muito com looks de trabalho durante a gravidez, uma boa dica é investir em acessórios.

Eles dão vida a qualquer look básico e sem graça. Escolha o que mais tem afinidade com seu estilo e abuse. Maxi colar, brincos coloridos, anéis dos mais diferentes formatos e cores, lenços e também pulseiras podem dar aquele charme que faltava.

E quer uma dica de ouro? Aposte em uma terceira peça com um colar longo. Fica muito elegante e você se sentirá mais esbelta, mesmo com o barrigão do final da gestação.

Depois que o barrigão começou a aparecer usei super essas dicas para compor os meus looks.

Espero que ajudem vocês também.

Bjs

Patricia Mapa

Continue Reading

O projeto do Quarto – a Maria Cecília está chegando!

No post anterior que fiz aqui no blog, em que falei sobre como iniciamos o projeto do quarto da nossa filha, contei como foi a contratação da arquiteta Jeilie Ferreira e como ela nos conquistou com seu profissionalismo e dedicação. E destaquei também como foi importante contar com sua orientação para que o resultado final fosse ainda mais prazeroso!

Ao receber o projeto do quartinho da Maria Cecília, o Raphael e eu ficamos muito emocionados e conseguimos enxergar nele um pouco da nossa história e cada detalhe do que solicitamos para nossa arquiteta. A Jeilie Ferreira, com sua experiência na área, conseguiu trazer os elementos certos e a delicadeza necessária para que nossa filha seja recebida com muito amor e aconchego num ambiente extremamente acolhedor e, ao mesmo tempo, prático, funcional e de fácil manutenção.

Vamos aos detalhes!

O projeto de arquitetura de interiores segue o estilo moderno e contemporâneo, com cores sóbrias e delicadas, tanto nos revestimentos quanto no mobiliário, predominando materiais como madeira, couro, laca e vidro.

O ambiente do bebê é onde os pais anseiam encontrar conforto e acolhimento. E foi pensando nisso que a nossa arquiteta Jeilie Ferreira distribuiu os móveis de maneira funcional no espaço facilitando o cuidado diário com a Maria Cecília. Sempre atualizada em práticas internacionais, nas normas do Inmetro e de ergonomia, ela escolheu mobiliário com linhas retas e que acompanham as fases do bebê.

“A iluminação é um ponto muito importante no quarto de um bebê e precisa transmitir tranquilidade e claridade, além de ser eficiente em todas as atividades do ambiente, sejam elas noturnas ou diurnas”, ensina Jeilie Ferreira.

As cores e a sintonia com o restante da casa também merece atenção. Algumas cores agitam a criança, e ela precisa de muito conforto para se acostumar com a vida fora da barriga da mãe. Os projetos elaborados pelas mãos cuidadosas da arquiteta Jeilie Ferreira trazem este conforto e tranquilidade para o cantinho da Maria Cecília!

Agora falta pouco…

Nossa bebê já está chegando e seu quartinho quase pronto para recebê-la com muito amor! Apresento a vocês o projeto que o escritório Jeilie Ferreira Arquitetura desenvolveu especialmente para nossa princesa, a Maria Cecília!

E aí o que acharam? Eu e Raphael estamos encantados, estamos fazendo aos poucos mas com todo carinho e em breve vou mostrar as fotos do quarto aqui pra vocês. Aproveita e me segue lá no insta (@patricia.mapa) tenho mostrado diariamente muitas coisas por lá também.

 

Continue Reading

Desabafo: Tamanho da barriga na gravidez

Na gravidez com certeza nós ficamos mais sensíveis e delicadas, é um período muito bom mas de muitas mudanças, tanto hormonais quanto no nosso corpo. E com elas toda a insegurança da nova vida que se aproxima com a chegada do bebê. E tem pessoas que entendem muito bem isso e nos apoiam e são amáveis com a gente.

Mas tem muita gente que até penso que não fazem por mal nos deixam pra baixo, nos comparam a certos padrões e não facilitam em nada as nossas vidas. Sei que é um assunto polêmico, mas acredito no meu papel de levantar esse debate para ajudar quem também passa por situações assim como eu.

O que mais me incomodou nos últimos tempos foram os cometários a respeito do tamanho da minha barriga. Pois não basta sermos medidas a vida inteira, nesta fase tão especial com certeza seríamos “medidas” também.

Sempre nos medem, seja na altura, no peso, no tamanho do cabelo e agora na gravidez o tamanho da barriga, estou com 34 semanas e me dizem que pelo tamanho da minha barriga parece que já está para nascer.

E sim minha barriga desde o início da gravidez foi bem evidente, mesmo quando ainda não tinha engordado quase nada ela já se mostrava e sabe o que eu sempre ouvi? Que minha barriga estava grande demais, que parecia que eu estava de mais tempo de gravidez, enfim, o que não faltaram foram palpites e comparações. E sabe de uma coisa? Barriga de grávida não tem padrão, cada mulher tem um biótipo e sua barriga vai evoluir de forma única e pessoal.

E o tamanho da barriga não tem nada a ver com o tamanho do bebê, se o bebê vai ser grandão ou não. Isso só o médico poderá dizer mais perto do fim da gestação.

Vamos ter mais empatia com as pessoas, parar de criticar por criticar, parar de nos comparar umas as outras, somos individuais e isso é lindo.

Falo por mim e por outras grávidas que tenho certeza que escutam a respeito dos tamanhos de suas barrigas, precisamos de comentários que não gerem repressão, insegurança a respeito de estar com a barriga grande demais ou pequena demais. ok?

 

Foto: Olga Rodrigues Make: Léo Batista Look: PMG Lingerie

E sim essa é minha barriga de 8 meses e até o 9º mês ela vai crescer ainda mais, eu estou amando ter esse barrigão.

Continue Reading

Diário de Gravidez: o sétimo mês

O meu sétimo mês foi um mês que pra mim passou muito rápido, foi o mês que viajei para fazer o enxoval da Maria Cecília e foi um mês com um misto de vários sentimentos, ansiedade, medo, gratidão, felicidade.

Vou abrir meu coração e contar meus sentimentos pra vcs, rsrsrs, tenho me sentido mais ansiosa, confesso que sempre fui ansiosa, mas até então não tinha me sentido assim, acredito que pelas mudanças no sono, nas várias descobertas, estava tudo fluindo tranquilamente.

Mas o sétimo mês me marcou de certa forma por ter começado a ter medo, medo de tudo que está por vir, um misto de sentimento de que não vou dar conta, que é muita mudança, sei lá, por vezes até me senti culpada por me sentir assim, mas li alguns textos que me tranquilizaram.

Não temos que ficar culpadas por estarmos sofrendo tantas mudanças, são vários hormônios em ação, o nosso corpo cada dia que passa vai ficando diferente, não conseguimos fazer as mesmas atividades de antes, sem contar no medo do que vem pela frente. Um bebezinho que dependerá de nós.

Eu nunca tive habilidade com criança, nunca troquei uma fralda sequer, nunca dei um banho, o máximo que já fiz foi segurar no colo até chorar, e assim que o bebê chorou devolvi pra mãe. E agora terei o meu bebê, terei que ser forte e ser seu porto seguro. Sempre cuidaram de mim e agora vou cuidar de alguém.

E o pior disso tudo é que a maioria das pessoas nos cobram que estejamos super bem, que estejamos radiantes e felizes o tempo todo e ficam nos repetindo aquelas frases mais clichês que é o melhor momento da vida de uma mulher, que temos que nos sentir plenas. Mas não é porque estou me sentindo ansiosa ou com medo que deixa de ser a melhor fase da minha vida. Só quero que respeitem o que estou sentindo, só quero que entendam que é sim um momento mágico e especial, mas que nem tudo são flores. É mais difícil dormir com o tamanho da barriga, vem as dores nas costas, o inchaço nos pés, e isso tudo é difícil.

Claro que é cheio de ótimos momentos também, a sintonia que temos com o bebê, cada vez que a barriga mexe e que ganhamos chutinhos é tudo muito gostoso. Conversar com a barriga, enquanto estou passando os cremes, é muito amor que vai sendo despertado em nós.

Enfim, foi só um momento que quis dividir com vocês pra que de alguma forma possa ajudar alguém porque acredito que é sim um momento mágico na vida de uma mulher mas não é errado não se sentir tão plena como todos exigem, tem as dificuldades também, e temos que aprender a conviver e lidar com elas.

Agora vamos pras perguntinhas/sintomas de como passei o sétimo mês:

 PRINCIPAIS SINTOMAS

Os principais sintomas que tive no sétimo mês da gravidez são:

  • Tive enjoo? Os enjoos somem graças a Deus.
  • Tive sono? A sonolência diminui, mas o cansaço aumenta.
  • Como está meu humor: super sensível e ansiosa.
  • Vontade de fazer xixi: Super aumenta, vou ao banheiro toda hora e sai um pinguinho de xixi, dá até raiva.
  • Peso: Continuo com muita fome. E não consigo comer as mesmas quantidades, tenho que comer de pouquinho em pouquinho e por isso acabo comendo toda hora. Me mantenho engordando uma média de 2 kilos por mês e já estou com 14 kilos a mais, e agora comecei a inchar as pernas e pés, o que contribui pro peso ficar lá no alto na balança.
  • Atividade física: Não fiz nada de atividade física mas minha médica pediu pra voltar a caminhar para ajudar a diminuir o inchaço nas pernas e pés.

Fiquei de falar da viagem do enxoval, mas vou fazer um post separado porque esse aqui já está gigante demais neh, rsrsrsrs.

Me acompanha lá no insta que mostro bastante coisas do meu dia-a-dia por lá.

Bjoss

Continue Reading

O Quarto do Bebê – uma escolha fácil? Nem tanto!

Quando começamos a pensar na montagem do quartinho da nossa filha, a Maria Cecília, eu estava grávida de 05 meses. O primeiro passo foi procurar uma ajuda especializada, já que eu tinha em mente otimizar ao máximo o espaço que nós dispúnhamos no apartamento, que era o quarto de TV, que seria transformado no quarto do bebê. Isso precisava ser feito da melhor forma possível, não somente transformar o espaço, mas, tornar o espaço realmente o quarto de uma criança que viveria nele a melhor fase da sua vida, a primeira infância.

A escolha do profissional

Quando nos deparamos com a necessidade de um novo ambiente, seja nossa casa ou um ambiente de trabalho é muito comum acharmos que basta ter bom gosto na escolha do mobiliário e a decoração estará solucionada. Além disso, ainda existe a ideia de que contratar um designer de interiores ou um arquiteto especializado em ambientes internos pode ser muito caro e não vale a pena. Envolver um profissional especializado e dedicado em todo o processo da obra pode trazer economia, tranquilidade e um resultado final ainda mais prazeroso e até lucrativo tem termos comerciais.

Para escolher o arquiteto que vai assinar um projeto de interiores, seja ele em que ambiente for, principalmente, o quarto do seu bebê é necessário seguir alguns passos importantes:

  1. É preciso que o profissional escolhido tenha empatia e gere confiança imediata em quem o está contratando, pois ele precisará saber informações sobre sua vida, seus hábitos, suas preferências e passará muito tempo com você, tornando-se quase um membro da família. Então, quanto mais empatia, melhor para o resultado final;

 

  1. Ideal que o profissional de interiores seja também arquiteto, pois a arquitetura contribui com elementos como melhoria da percepção espacial do ambiente, harmonização com áreas externas, fechamentos e aberturas de vãos, identificação e solução de patologias, emissão de laudos técnicos e dá capacitação técnica para o acompanhamento de obras, se for o caso;

 

  1. A contratação de um profissional de arquitetura e interiores garante o acompanhamento do projeto durante toda a obra, para que tudo seja executado de acordo com o estabelecido;

 

  1. O profissional especializado aplica sua experiência e conhecimento de materiais, mobiliário, iluminação, cores, conforto ambiental, layout, distribuição e fornecedores, no sentido de projetar o melhor aproveitamento visual e funcional do ambiente, além de prover economia ao cliente, aliando estética e funcionalidade com harmonia, sempre atento ao conforto do cliente;

 

  1. Contratar o profissional especializado é o caminho mais curto e menos oneroso.

 

Com tudo isso em mente, eu queria o melhor profissional para me ajudar a ter o quartinho dos nossos sonhos para a Maria Cecília, e fui buscar na internet trabalhos que eu me identificasse. Foi quando encontrei a arquiteta Jeilie Ferreira com vários trabalhos lindos e inúmeros depoimentos de clientes que me emocionaram. Marcamos uma reunião e quando a conheci pessoalmente tive a certeza que seria ela! Ela me escutou atentamente, tudo que eu queria ou não gostaria de ter no quarto da Maria Cecilia, me explicou várias coisas que eu nem fazia ideia a respeito de um projeto de quarto de bebê, enfim, foi a melhor escolha que eu poderia fazer! Tenho certeza que será o melhor e mais lindo quartinho de bebê, o quarto da nossa Maria Cecília!

 

Finalmente, o Quarto do Bebê!

Esse é o primeiro lugar que o bebê vai se ambientar depois de sair da confortável barriga da mamãe. Cada detalhe deve ser pensado por um profissional habilitado, com muito carinho.

Fazer um projeto traz muitos benefícios para o bebê e para os pais também. Com os apartamentos cada vez menores, cada centímetro deve ser bem aproveitado. Os móveis devem ser ergonomicamente corretos e somente um profissional capacitado e com experiência pode estar atento a estes detalhes. Diferente de quando você compra tudo e coloca no ambiente, você correrá o risco de móveis fora do tamanho adequado para seu espaço, além de cantos mal aproveitados. É o que nos ensinou a Arquiteta Jeilie ao iniciar o projeto do quarto da nossa bebê.

Em breve, o projeto completo do Quarto da Maria Cecília!

Continue Reading

Lindas decorações de casa para inspirar você

A decoração da sua casa é um assunto muito importante e popular, afinal uma decoração pode renovar totalmente o seu lar. O importante é escolher um etilo que combine com você, afinal é você que mais precisa gostar do estilo, e existem diversos estilos por ai. Como o estilo rustico, o estilo moderno, colorido e por aí vai. Então hoje vamos trazer algumas ideias para você encontrar a sua inspiração.

Decoração rustica

Essa ideia combina bem com casas de campo ou até mesmo sua casa normal, o importante e deixar o ambiente rustico e com muito estilo, olhe por exemplo essa parede de tijolos, traz o rústico mas mistura com elementos modernos e atuais, fazendo com que o ambiente fique muito charmoso.

Fonte : Dcorevoce

Cor salmão

Para decorar sua casa use a cor salmão, a sala de estar principalmente, fica muito lindo e entra no estilo moderno de decoração. Mas lembre-se que é necessário misturá-la com outros tons neutros para não deixar o ambiente over, fica muito lindo o salmão com branco, cinza e tons pastéis como na foto abaixo. E caso não queira que a parede seja desta cor mais chamativa, aposte também em acessórios de decoração na cor salmão ela dará muita alegria ao seu ambiente.

Fonte : Sulanovidros

Plantas

Algumas plantas na sua casa podem fazer toda a diferença na sua decoração, pois trazem um estilo muito natural para sua casa. Se você gosta deste estilo de ambiente mais natural explore as plantas seja na varanda ou mesmo na sala de estar ou nos quartos, hoje em dia tem muita gente usando as plantas em palets ou mesmo em decoração vertical como numa parede da varanda por exemplo, fica super charmoso.

Fonte: Pinterest

Nichos

Nichos estão super na moda, e além de lindos, conseguem melhorar e muito a funcionalidade do ambiente que você os colocar. Sejam nas paredes dos quartos ou da sala de estar ou como na foto abaixo que se complementam e fazem uma decoração linda em um cantinho da sua casa.

Fonte: Pinterest

Gosto muito das dicas de decoração do blog dcorevoce, lá tem todas as novidades e tendências de decoração para você se inspirar.

 

Continue Reading

Diário de Gravidez: o sexto mês

O sexto mês é um mês muito especial, uma espécie de marco na gravidez, é bom chegar no sexto mês e ver que já se passaram tantas coisas e que agora falta pouco para conhecer nossa filhotinha. A gestação de uma forma geral está passando muito rápido até agora. E agora começam as buscas de como será o quartinho dela e os preparativos com enxoval.

O sexto mês vai da 22º semana até a 26º semana de gestação.

Fiz um ultrassom no finzinho do mês e a Maria Cecília estava com 33 cm de comprimento e aproximadamente 986 gramas, uma gostosura essa menina, rsrsrs. Deu tudo normal no ultrassom, as demais medidas, batimentos, líquido amniótico, graças a Deus está tudo correndo muito bem.

Agora já me sinto mais pesada e mais lenta, a barriga já está bem visível e não tenho a mesma agilidade para realizar as tarefas do dia-a-dia, essa tem sido a pior parte pra mim pois sempre fui muito ativa e agora fico lenta para realizar algumas tarefas como ir ao supermercado por exemplo. Rsrsrs

A minha pressão arterial continua mais baixa e segundo minha médica é normal nesse período da gravidez e inclusive é um bom sinal de que está tudo bem. Mas tenho que ficar atenta e não esquecer de comer um lanchinho de 3 em 3 horas no máximo senão ela abaixa muito e acabo sentindo mal estar.

Comecei a sentir azia com mais frequência, ao ponto de fazer vômito algumas vezes. E a fome aumentou também, parece que nunca passa. Tenho tido mais vontade de comer besteiras, mas continuo me controlando, mas aos finais de semana não tem jeito acabo dando aquela extrapolada, rsrsrs.

Os movimentos da Maria Cecília já são bem visíveis e constantes, mexe o tempo todo, principalmente se estou parada no computador por exemplo, acho que por eu estar quieta acabo percebendo mais neh.

Tenho me sentido mais sensível e mais ansiosa, ansiosa por faltar relativamente muito tempo ainda, e as vezes até um pouco culpada por querer que passe logo toda essa fase, é tudo muito lindo mas é muito difícil também lidar com todas as emoções que as variações hormonais trazem, toda essa expectativa de ter um serzinho chegando e que terei que ser forte para cuidar dela. É difícil explicar, mas são muitas mudanças na nossa vida de uma forma geral que acabam trazendo também muita insegurança.

Sou uma pessoa que gosta de ter controle de tudo e agora vejo que não estou no controle de nada, tudo é relativo, tudo depende de várias coisas e estou tendo que aprender a viver com isso. Com todas as incertezas de como será o parto, será normal? Será cesárea? Tudo depende, não tem uma resposta ainda. E isso me gera um pouco de ansiedade. Mas o importante é pensar que vai dar tudo certo e que será feito o melhor para nós duas ficarmos bem.

Agora vamos pras perguntinhas/sintomas de como passei o sexto mês:

 PRINCIPAIS SINTOMAS

Os principais sintomas que tive no quinto mês da gravidez são:

  • Tive enjoo? Praticamente nada de enjoo, muito boa essa fase de não enjoar mais, mas em contrapartida a azia veio pra matar, quando vem faço até vômito de tão forte as vezes.

 

  • Tive sono? Diminuiu muito, comecei a dormir bem menos e a ter bem mais disposição. Nem tive sono após o almoço por exemplo rsrsrs.

 

  • Como está meu humor: fiquei muito mais sensível, muito mais chorona, dá vontade de chorar por nada tem hora.
  • Vontade de fazer xixi: Está voltando a aumentar as idas ao banheiro, como ela está crescendo deve estar apertando minha bexiga e fico com uma vontade enorme mas quando vou ao banheiro sai um pinguinho de xixi.
  • Peso: A fome tem aumentado muito, fico com fome o tempo todo. E também não consigo comer as mesmas quantidades, tenho que comer de pouquinho em pouquinho e por isso acabo comendo toda hora. Me mantenho engordando uma média de 2 kilos por mês e já estou com 12 kilos a mais, eh muito peso a mais, por isso me sinto mais pesada e mais lenta. Minha médica disse que tenho que tentar não exceder muito na reta final pois pode ser ruim pra mim e pra Maria Cecilia também.
  • Atividade física: Não fiz nada de atividade física desde que tive a dor nas costas, a dor passou já consigo andar normalmente, mas e a coragem de voltar a caminhar? Minha médica pediu que eu volte a fazer caminhadas leves para ajudar a não aumentar o peso e ajudar a não inchar as pernas também. Que por sinal até agora não tive nada de inchaço nem nas pernas nem nos pés.

 

Então é isso, estou ansiosa para a chegada da Maria Cecília, me acompanha tmb lá no insta que mostro bastante coisas do meu dia-a-dia por lá.

Ah e no post do sétimo mês vou contar pra vcs sobre o enxoval nos EUA, vamos viajar no próximo mês e vou contar tudo aqui, então fiquem ligadinhas.

Bjoss

Continue Reading