Meio aniversário da Maria Cecília

No dia 01/11/2018 minha princesinha completou seu meio aniversário, são 6 meses de muita fofura, muitas descobertas e também uma mudança inimaginável em minha vida.

Nunca tive aquele sonho de ser mãe, sempre quis, mas sempre soube que eu teria muita dificuldade, pois nunca tive sobrinho pequeno ou nada parecido para cuidar, ou seja, nem imaginava a demanda de um serzinho tão pequenininho nem se eu teria “jeito” pra coisa.

Logo que o baby chega todos querem saber se está mamando se dorme se tem cólica, enfim, essas perguntas básicas que toda mamãe já deve ter ouvido. E eu inexperiente zero me preparei para tais ocorrências, mas no fim deu tudo certo.

Pra mim a amamentação foi bem intuitiva, coloquei no peito e mamou, graças a Deus. Mas tive muitas dúvidas e como eu recorria a internet (terra sem lei) lia todo tipo de informação, tanto positivas quanto negativas e ficava super neurada e com medo. Então minha dica é: leia, leia e leia, mas leia fontes seguras. Comprei dois livros que super me ajudaram e ajudam até hoje, o primeiro que li foi: Os segredos de uma encantadora de bebês e o segundo: A encantadora de bebês ambos da autora Tracy Hogg. Depois posso falar mais deles, mas na internet tem muitos posts e vídeos resumindo eles.

Hoje, sem os efeitos hormonais do pós parto fico rindo, mas foi bem tenso, todo mundo dando palpites, mãe, sogra, cunhadas, tias e a gente naquele turbilhão de emoções tendo que filtrar tudo, aff, só rindo mesmo.

Outra dica: pegue leve com as mamães, não dê opiniões e palpites exceto se te perguntarem e ainda mais importante, não julgue, nós já nos julgamos o tempo todo. E ser julgada por outras mães é horrível, cada uma sabe da sua verdade, do que é melhor para si e para seu bebê. Seja leve com você mesma e com outras mamães.

Nossa é cada comentário imbuído de julgamentos que temos que ter muito bom humor pra deixar pra lá e seguir a vida viu aff, kkk.

Tem duas coisas que eu teria feito diferente se eu tivesse a experiência que tenho hoje, uma é ter dado bico desde o início pra Maria Cecília, fiquei ouvindo médico e comentários negativos da internet e me dei mal, porque quando fui oferecer o bico ela já não aceitou mais.

O pediatra que nos atendeu na maternidade falou que ela poderia ter confusão de bicos e não mamar, e ensinou ela a chupar a mãozinha dela, fiquei com medo dela largar o peito e não dei bico, hoje super me arrependo, pois o bico acalma a criança, faz ela dormir mais fácil e principalmente sacia a vontade de sugar deles, no meu caso ela uso o seio para saciar essa vontade o que me deixa super presa, pois em vários momentos ela quer meu peito só pra sugar, minha esperança é que agora com a introdução alimentar isso mude um pouco, oremos rsrsrs.

Outro arrependimento é que no começo eu ficava ouvindo as tais pessoas palpiteiras quanto a dar colo pra minha filha, falavam: não deixa no colo pra não acostumar e só querer colo, eu amamentava e logo colocava no berço ou cadeirinha de balanço ou mesmo minha cama, mas colo era só na hora de mamar, aff, que raiva, meu sonho ficar bem grudadinha com ela no colo de novo, bem pequenininha dormindo no meu colo.

Confesso que do terceiro mês pra frente resolvi ignorar esses palpites e estou fazendo as coisas mais do meu jeito, deixo dormir no colo, no peito e foi a melhor decisão. Ela passou a dormir melhor e eu passei a me sentir mais tranquila em ouvir o meu instinto e não os palpiteiros. Passa tão rápido, daqui a pouco ela vai querer só ficar no chão engatinhando e depois andando, que vou sentir muita saudade desse tempo que ela ficava só no colo.

Hoje vejo que temos que filtrar as informações, é um período que estamos cheias de dúvidas sem saber o que fazer, nessa jornada de mãe de primeira viagem, ficamos mais confusas com tanta informação bagunçada, seja pela internet, seja pelas pessoas próximas e até os médico, na maternidade o próprio pediatra, enfim, tenho certeza que se tiver outro filho serei mais leve comigo mesma neste início.

E uma coisa que já pratico é zero dar palpite pra qualquer mamãe que seja, se me perguntam minha opinião, falo o que fiz com minha filha mais nada. Não pergunto e jamais julgo qualquer que seja a opinião de outra mãe.

Enfim esses são meus maiores arrependimentos e aprendizados e quero deixar claro que essa é minha experiência, são meus gostos e minhas opiniões, que hoje vejo que teria sido o melhor pra mim, mas mais uma vez eu digo, não julgue e não dê palpite se a sua opinião é diferente, sejamos leves.

Agora estamos começando uma nova fase, a alimentação. E daqui pra frente vou começar a dar também leite de fórmula pois em janeiro ela vai pro berçário então não quero correr o mesmo risco da chupeta de ela não pegar a mamadeira com leite de fórmula. Com o meu próprio leite sempre dei pelo menos uma vez na semana na mamadeira por medo dela não adaptar depois e pro papai também participar deste momento tão gostoso que é alimentar nossa bebezinha linda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *